Presidente da ASDAB tem encontro na Casa Civil com representantes de ferrovia

Presidente da ASDAB tem encontro na  Casa Civil com representantes de ferrovia

Segmentos buscam sinergia para uso do modal de transporte

07 de Fevereiro de 2019

O presidente da Associação dos Agentes de Distribuição da Bahia (ASDAB), Roque Eudes Santos, esteve reunido nesta quinta-feira (07), com o coordenador de Acompanhamento de Políticas de Infraestrutura da Casa Civil do Governo do Estado, Marcos Rocha, e com representantes da VLI, empresa especializada em operações logísticas e controladora da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA). O gerente executivo da ASDAB, Emerson Carvalho, também participou do encontro, no prédio da Governadoria, no CAB, em Salvador.

Erico Gomes, da Diretoria Comercial e Novos Negócios da VLI, e Elias Rezende, da Gerência de Regulatório e Institucional, mostraram detalhes da operação da empresa, que percorre mais de 10 mil quilômetros de malha ferroviária no Brasil e conta com 22 mil vagões e 800 locomotivas. A companhia engloba ainda a Ferrovia Norte Sul (FNS), além de terminais integradores, que unem o carregamento e o descarregamento de produtos ao transporte ferroviário.

O presidente da ASDAB, Roque Santos, informou que um novo encontro será agendado, com empresários do setor atacadista distribuidor, na Associação, para discutir a possibilidade de sinergias entre os distribuidores baianos e a ferrovia. Desta forma, segundo ele, serão aprofundados as discussões e os estudos quanto ao tema. “O transporte ferroviário é bem mais barato que o rodoviário, mas precisamos criar uma infraestrutura adequada para que a logística funcione bem, seja através da compra de produtos do Sudeste como na distribuição dentro do estado”, citou.

Somente a Ferrovia Centro Atlântica (FCA) conta com 7.220 quilômetros de extensão e passa por 316 municípios, em sete estados brasileiros (Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Sergipe, Goiás, Bahia, São Paulo) e Distrito Federal. É o principal eixo de integração entre as regiões Sudeste, Nordeste e Centro-oeste. Na Bahia, passa pelas regiões sudeste, centro, região metropolitana e segue até o norte do estado em dois ramais, seguindo sentido Juazeiro e outro até Aracaju.

No cenário brasileiro, a prática de interligar modais (rodovia e ferrovia) representa mais velocidade no escoamento das cargas. Apenas um vagão graneleiro, por exemplo, comporta, em média, mais de 70 toneladas enquanto um caminhão bi-trem carrega a metade deste volume.


Associação dos Agentes de Distribuição da Bahia - ASDAB
Assessor de Comunicação - Jornalista Pedro Carvalho 
Tel.: (71) 3342.4977